Buscar

#16º de 777 ✅ PECADO | NÃO GOSTEI de DEUS TAMBÉM

Atualizado: 16 de Abr de 2018

O que é de fato “pecado”?


Nós temos na História das Escrituras, a história da ‘queda do homem’, provavelmente registrada por Moisés.


Jargões teológicos como: “A origem do pecado”, “A queda do homem” pegam tanto que é capaz de um católico, um evangélico ou espírita, acreditar de fato que o homem caiu no pecado com uma conotação religiosa e espiritual, acreditando que realmente a queda do homem foi no Jardim do Éden.


No Bereshit, no Princípio, DEUS fez o Bem e o Mal, Luz e Trevas, dois reinos. ELE criou e deu livre arbítrio para o homem escolher o seu caminho, a partir daí; tudo é referência, escolha e motivação, DEUS não interfere.


O sistema religioso pega Eva, e cria todo tipo de filosofia, sofisma, fábula, e mito para a história da serpente e da ‘fruta’...


Sendo que primeiramente a palavra ‘serpente’ no original é ‘réptil’, não se sabe qual tipo de réptil era, e em segundo lugar não é ‘fruta’ é ‘fruto’ no sentido figurado de ação, atitude, obra. E daí surgiu à conotação de pecado.


E se “comer” e “fruto” são no sentido figurado, nós concluímos então que DEUS disse a eles: Não queiram saber além...


Mas, a serpente ofereceu a eles um conhecimento para que pudessem ter a capacidade de entendimento do CRIADOR. E essa proposta existe ainda hoje, ‘Mateus 4’ e ‘Lucas 4’. Sendo assim o homem e a mulher quis ser igual a DEUS, então Satanás usou meias verdades para oferecer a eles o que ofereceu a JESUS; Ter, Ser e Poder.


A conotação de “pecado” no hebraico tem três níveis de aprofundamento. No Velho Testamento toda vez que aparece a palavra ‘pecado’, é “Chata'a”, que no grego tem o mesmo significado de “Hamartia”, que significa “errar o alvo”.


Portanto, “pecadores” deveria ser traduzido para “errantes”, e pecado devia ser traduzido para “erro”, para não ter a conotação equivocada que as pessoas tem nos dias atuais.


Pecado não tem a conotação espiritual da maçã, nem sexual, pecado é errar, errou, pecou...


No ‘Salmo 51’ temos referências dos três níveis de erros, primeiramente vemos a palavra “pecado”, que no original significa “Chata'a”; que acontece quando a pessoa erra aleatoriamente, é um erro isolado, quando acontece uma vez na vida, podemos dizer que é o pecado de ‘nível um’.


Em segundo lugar aparece a palavra “transgressões”, no sentido de infração, revolta, vingança, no original é o mesmo que “Pesha” que tem a conotação de errar revoltadamente, esse é o pecado de ‘nível dois’.


A terceira palavra é “iniquidade”, no original hebraico é “Avon”, é quando a pessoa passa cometer um erro repetidamente, constantemente e pior; sem temor. A pessoa perde o peso da consciência ‘Romanos 14’, quando ela perde a noção do erro, e assume a condição de errante; “eu erro porque quero”, e esse é o pecado de ‘nível três’.


Hoje quando se diz que alguém “pecou” é diferente de dizer que alguém “errou”, tem conotações diferentes, e não deveria ter, porque é a mesma palavra.


As pessoas não sabem o que é pecado, o que é erro, não sabem o que é fazer o Bem...


Tudo o que você fizer de Bem ou de Mal para o seu próximo, está fazendo a DEUS.


‘Tiago 4.17’ “Aquele, pois, que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado.” Nesse texto vemos as três conotações de pecado, “Chata'a, Pesha e Avon”.


DEUS não é invisível, ELE disse; “EU escolhi habitar dentro de vós”. ‘Hebreus 3.6; Efésios 2.22; I Pedro 2.5; I Coríntios 12’. O ABSOLUTO habita em nós, e se ELE habita em nós é muito mais profundo do que pensamos.


Muitos pensam que adoração a DEUS, é entre si e o seu CRIADOR, obedecendo vários dogmas e ritos, achando que assim estará agradando a ELE.


Mas a verdadeira adoração a DEUS é no próximo, na linha horizontal, não na vertical.


Eu te pergunto: Como está seu relacionamento com o DEUS visível?



© 2020, by AKEL, fundador da Filosofia EX, since 2012.