Buscar

#43º de 777 ✅ ISAAC NEWTON, um DESIGREJADO

Isaac Newton, um desigrejado de fato, muito a frente do seu tempo, falou muitas verdades que nós falamos, principalmente na sua visão, mas também errou muito. Mesmo mais errando do que acertando, Isaac Newton, no combate ao cristianismo de Constantino foi um de nós.


Muitos acham que ele é um dos pais da física, mas na verdade Newton queria mesmo ser um profeta, um profeta que amava a escatologia, porém sua visão era preterista, algo que já refutamos.


Absolutamente contra a Trindade, entendia a unidade do CRIADOR como nós da Filosofia EX.


Ele era uma pessoa fora do comum, distraído, generoso, sensível à crítica e modesto. Tinha dificuldade em manter boas relações sociais; normal de pessoas inteligentes. Dia desses a revista 'Superinteressante' falou que: pessoas superdotadas não possuem muitos amigos e vivem isolados, melancólicos e dormem tarde, contudo ele foi um dos raros gigantes da História; um físico brilhante, astrônomo, matemático, filósofo, natural e escatólogo. Este último revelaremos hoje, o que quase ninguém sabe sobre ele, até mesmos os universitários.


Morreu em 1727 com a idade de 85 anos, deixou todo um trabalho ao qual se dedicou durante toda sua vida. Conhecemos suas leis do movimento e a teoria da gravitação, mas poucos sabem que ele era um verdadeiro evangélico (no sentido Evangelho e não o tolo rótulo religioso), criacionista e intérprete das profecias bíblicas.


Será estranho para muitos ouvir o que vamos dizer sobre ele, pois a maioria dos que ouviram falar sobre ele, usam seu nome e seu trabalho de forma errada para defender o agnosticismo e o ateísmo ou pós cristianismo.


Newton nos deixou até uma obra teológica: “Newton’s Observations Prophecies of Daniel and the Apocalypse” (Observações de Newton Sobre as Profecias de Daniel e o Apocalipse).



CONTEXTO HISTÓRICO DE NEWTON


Desde 1300 quando a ICAR descobriu que as Universidades possuíam alto potencial político, procurou dominá-las, e foi no auge deste momento, do século 16 em diante que surgiram pensadores extra-universitários, como Newton nos séculos 17 e 18. Era uma intelectualidade fora do sistema educacional. Aliás, historicamente os maiores líderes mundiais sempre foram de fora do sistema, por acharem pobre e mecânico o que se ensinava nas escolas.


No final do século 17, Bentley buscou a ajuda de Newton para provar que segundo as leis físicas que governam o universo natural, teria sido impossível os corpos celestes surgirem sem a intervenção de um agente divino.


Sobre essa parceria teológica Newton escreveu: “Os movimentos que os planetas tem hoje não podiam ter sido originados em uma causa natural isolada, mas foram impostos por um agente inteligente.”



OS ACERTOS DE NEWTON


Newton também se preocupava com a restauração da Igreja Cristã à sua pureza apostólica. Seu estudo das profecias o levou a concluir que afinal a Igreja, a despeito dos seus defeitos presentes, triunfaria. William Whiston, que sucedeu a Isaac Newton como o professor de matemática, declarou, depois da morte de Newton, que ele e Samuel Clarke tinham desistido de lutar pela restauração da Igreja às normas dos tempos apostólicos primitivos. Porque a interpretação que Newton dava às profecias, os tinha levado a esperar uma longa era de corrupção, antes de poder ser efetiva. E ele estava certo. Vejam, Newton estava longe de identificar o que quer que existisse a seu redor como o verdadeiro cristianismo apostólico. Ele considerava todo cristianismo a sua volta como um grande desvio do Evangelho.


Este interesse na Restauração da Igreja à pureza apostólica levou Newton a um estudo sobre a Segunda Vinda de CRISTO. Sua preocupação com o futuro o levou às 70 semanas do capítulo nove do livro de Daniel. Ele designava a última semana para um futuro indeterminado, quando a volta dos judeus e a reconstrução de Jerusalém iriam começar, culminando com a gloriosa Segunda Vinda de CRISTO.



VEJAMOS UM TRECHO DE SUA OBRA


“...E no fim daquela perseguição, pela vitória de Constantino sobre Maxêncio, no ano 312, ela “deu à luz um filho homem, que havia de reger todas as gentes com vara de ferro”, ou seja, um Império Cristão. E pela vitória de Constantino sobre Licínio, no ano de 323 “seu filho”, isto é, os Bispos, “foi arrebatado para Deus e para o seu trono...”



ERROS DE NEWTON


Suas interpretações acertadas incluíam a podridão do Cristianismo pagão e falsificado de Constantino, Lutero e Calvino, mas suas interpretações também eram demasiadamente metafóricas, e nisto Newton errou. Ele achava que o Dragão de ‘Apocalipse 12’ já tinha caído figuradamente através do Império Romano e que as bestas, do mar e da terra já tinham se cumprindo. Infelizmente Newton errou por ter sido preterista.


As suas interpretações escatológicas figuralogistas e preteristas estão realmente muito longe da realidade, mas fica para nós sua visão, sua luta e dedicação contra o sistema religioso, sabendo que o Cristianismo católico e protestante não eram a profissão do Evangelho deixado pelo autor JESUS YAHSHUA.



Você encontra essa obra de Isaac Newton traduzida para o português na nossa biblioteca EQUI.



© 2020, by AKEL, fundador da Filosofia EX, since 2012.