Buscar

#83º de 777 ✅ DEUS, O CÓDIGO FONTE

Atualizado: 14 de Jul de 2018


SOURCE CODE. "Código-Fonte" é o conjunto de palavras ou símbolos escritos de forma ordenada, contendo instruções em uma das linguagens de programação existentes, de maneira lógica existem linguagens que são compiladas e as que são interpretadas. Nas linguagens compiladas, após serem compilado o código-fonte transformam-se em software, ou seja, programas executáveis... Este conjunto de palavras que formam linhas de comandos deverá estar dentro da padronização da linguagem escolhida, obedecendo a critérios de execução. Atualmente, com a diversificação de linguagens, o código pode ser escrito de forma totalmente modular podendo um mesmo conjunto de código ser compartilhado por diversos programas e até mesmo linguagens.


O CÓDIGO-FONTE é uma ciência que começou há muitos anos, quando ainda no início da Física e da Química, havia a necessidade de ter algarismos, caracteres que representassem a origem das coisas, os elementos da natureza e toda matéria...


A QUÍMICA por exemplo, representa a água como H²O, letra, número, letra; a FÍSICA faz a mesma coisa com siglas e abreviaturas, com números e letras, homenageando seus pais quando fala de elétrons, de fótons, de distância, quilômetros, espaço e tempo, quando fala tempo são “horas e minutos”, nomes que o homem dá para as unidades de medidas, de tempo e espaço, de peso, de características formas e cores...


Depois que aconteceu isso na ciência desde o tempo dos egípcios, babilônios, gregos, medo persas e romanos, até chegar à Idade Média, a ICAR contra a ciência; surge o Iluminismo, o Renascentismo, saímos da idade do Barroco que era o início, a eclosão da transformação da ciência, que lutava contra uma religião que estava sufocando o seu desenvolvimento. E ao chegar ao Iluminismo parece que pela primeira vez na humanidade, a ciência passa a ter valor e começa a vencer a batalha contra a religião. Depois dessa Era os iluminados da ciência, aqueles que têm sabedoria vão chegar a outro extremo, saem do extremo da religião, do bitolamento barroco, para o agnosticismo, o pós-cristianismo e a cientologia de hoje.


Mas quando chega à Roma eclesiástica papal, do clérigo religioso e não político, a igreja cristã é a que mais sufocou a ciência, no justo momento em que a ciência estava despertando com todos esses códigos, desmistificando a vida; e naquela época ela tinha mais apoio dos povos pagãos e politeístas. Nos últimos 1700 anos a igreja sufocou a ciência, mas nos últimos 300 anos ela tem vencido...


Como tudo na vida é ambíguo, paralelo, e tudo tem uma pirâmide formada por TESE, ANTÍTESE e SÍNTESE, é assim que o homem domina o outro homem... Porque descobriu através do Lume e usa esse Lume para o Mal, porque a vida é feita disso, e quem descobre essa verdade ou será muito sábio para o Bem, ou para o Mal. Então agora o homem começa a ir para a "síntese"da Pirâmide, ele viveu o lado esquerdo, azul, da religião, em seguida o lado vermelho, da ciência, até que chegou na síntese, a "Base" da Pirâmide, que é esse momento final do Apocalipse, quando RELIGIÃO e CIÊNCIA se unem...


Mas a questão do CÓDIGO-FONTE é muito mais antiga, em ‘Gênesis 11’ quando os idiomas foram criados, por conseguinte se criaram novos caracteres alfanuméricos, novos acentos, novas formas de verbalizar, de falar e entonar, culturas foram formadas segundo as 72 Nações. Foi DEUS quem criou todas essas coisas, que nós tipologicamente aprendemos pela Bíblia que é o Livro de Referências, que nos mostra em linguagem de criança quando fala ao invés de “carbono”, terra, barro... O “carbono” é o nome científico dado pelo homem que explica o elemento do qual o homem foi formado.



COMO ENTENDER O CÓDIGO-FONTE?


O homem começou a entender o CÓDIGO-FONTE com as ciências da terra, até que chegou na ERA DA INFORMAÇÃO, e é nessa Era, que encontramos a cibernética,* onde começa a perceber, que se o homem cria determinadas coisas como por exemplo códigos binários, começando a desmistificar as coisas numa micropossibilidade, então da mesma forma em paralelo já que somos feito a imagem e semelhança de DEUS se explica o Bem e o Mal, a existência de todas as coisas, metafísicas e físicas na Macropossibilidade e Macroexistência.


Ou seja, o homem faz holograma, realidade virtual, inteligência artificial, pele artificial, isso vai na raiz do código-fonte. Porque o homem sempre quis “o fruto”, o ter, ser e poder, que é o crivo. E dar possibilidades ao homem de ter mais inteligência, e mais conhecimento, potencializar o seu ter, ser e poder, é o que a humanidade sempre buscou, porque nunca aceitou estar subordinado aos seus limites.


Então se o homem começou a falar de código-fonte agora, na Era da Informação, com isso ele também está mostrando e revelando na Macropossibilidade, que DEUS também tem o seu código-fonte. A teoria do “Design Inteligente” mostra O CRIADOR, por trás de todas as coisas, e vemos essa teoria como "esperança", para que nessa última geração os jovens possam entender a verdade.


GRANDE REVELAÇÃO


Quando o homem criou na "Era da Informação" os códigos-fonte, ele foi além das abreviaturas e caracteres para Matemática, Física, Química e Biologia, das unidades de medidas, de tempo, de espaço e peso. Com essa criação, temos vários tipos de códigos fontes, e temos linguagens como: Java, HTML, Imagem JPG, GIF... E o homem tem que se acostumar com isso, são novas nomenclaturas, para formatos cibernéticos de arquivos de textos, de áudios, de vídeos, tudo agora tem software que se desenvolvem e fazem acontecer e executar esse código-fonte. Na linguagem cibernética, existem vários tipos de mecanismos para executar o código-fonte, e quem é especialista e conhece essa linguagem é como se conhecesse um novo idioma.


E nós pela Bíblia tipologicamente entendemos o código-fonte por “PALAVRA” através de Moisés, pois pela palavra foram feitas todas as coisas, todos os mundos, os sistemas, os cosmos, toda a cosmologia vem da palavra; a PALAVRA na verdade é a execução para esse CÓDIGO-FONTE.


Assim como na micropossibilidade de qualquer página cibernética, qualquer arquivo de dados pode ser editado, pode ser alterado, e se alterar o código-fonte conserta a página, arquivos de música, de imagem, de vídeo, só precisa ter conhecimento e poder para editar o código-fonte. E no campo metafisico não é diferente.**


Se qualquer homem, animal ou semente, tem um código-fonte, e esse código carrega aquilo que o homem chama de DNA que é o “CÓDIGO FONTE da MATÉRIA”, da natureza, o homem entende isso agora, pela física quântica. E tudo pode ser mudado no código-fonte, no DNA, mas só DEUS tem esse poder, mas ELE nos deu instrumento para alcançarmos isso, é O PODER DA MENTE. ELE disse: “Todo paradigma pode ser alterado...”


FÉ é nada mais, nada menos que a palavra tipológica para o PODER DA MENTE, o acreditar, ter esperança, de que as coisas podem transformar-se, mudar...




“DEUS é a própria MATEMÁTICA, ELE é o CÓDIGO-FONTE!”



PITÁGORAS


“O número era a substância de todas as coisas”

“O número domina o Universo. Geometria é o conhecimento da existência eterna”.


Sobre a questão de saber se a matemática foi descoberta ou inventada, Pitágoras e os pitagóricos, não tinham dúvida que ela, era real e imutável, onipresente, e também a coisa mais elevada do que qualquer coisa, que a mente humana possa conhecer. Os pitagóricos literalmente incorporam o Universo na matemática. De fato para eles, DEUS não era um matemático, mas A MATEMÁTICA ERA DEUS!



PLATÃO


“Conhecimento que a geometria foca é o conhecimento do ETERNO.”

“Geometria vai direcionar a alma para a verdade e criar o espirito da filosofia.”

“Igualdade geométrica é de grande importância entre deuses e homens.”


Para Platão as únicas coisas que realmente existem são as formas abstratas e ideias matemáticas, uma vez que só com a matemática podemos obter um conhecimento absolutamente certo e objetivo, por consequente na perspectiva de Platão a matemática torna-se intimamente associada com o divino. Segundo ele o caráter matemático do mundo é simplesmente uma consequência do fato de que: “DEUS SEMPRE GEOMETRIZA”.


ARQUIMEDES


Arquimedes mudou o mundo da matemática e sua relação com a percepção do universo, de uma maneira profunda. Exibindo uma combinação surpreendente de interesse teórico e prático, ele forneceu a primeira evidência empírica, em vez de mítica, de um aparente projeto matemático da natureza. A percepção de que a matemática é a linguagem do Universo e, portanto, o conceito de DEUS como matemático, nasceu em trabalhos de Arquimedes.


GALILEU


“A matemática é o alfabeto que DEUS usou para escrever o Universo”.


Séculos antes da pergunta de porque a matemática era tão eficaz para explicar a natureza Galileu pensava que ele já sabia a resposta! Na concepção dele, a matemática era simplesmente a linguagem do Universo. Para compreender o Universo, segundo ele, é preciso falar esta língua. DEUS era com certeza um matemático. Galileu não estava satisfeito com a matemática como mero intermediário ou canal. Ele tomou um passo adiante no sentido de igualar a matemática com a língua nativa de DEUS. De acordo com ele, o CRIADOR falou na linguagem da matemática, na concepção de natureza. Além disso, ele argumentou que, ao entender a ciência usando a linguagem do equilíbrio mecânico e matemática, os seres humanos poderiam compreender a mente divina. Dito de outro modo, quando uma pessoa encontra uma solução para um problema utilizando a geometria proporcional, a percepção e a compreensão adquirida são divinas.



DESCARTES


As ideias de Descartes, (como as funções) abriram a porta para o equacionamento sistemático de quase tudo, a essência da noção de que DEUS é um matemático. O ponto mais interessante é a visão dele de que DEUS criou todas as “Verdades Eternas”. Em particular, ele declarou que: “As verdades matemáticas que vocês chamam de eternas foram estabelecidas por DEUS e dependem inteiramente DELE e não ao resto das suas criaturas.” Então, o Deus cartesiano era mais do que um matemático, no sentido de ser o criador de matemática, e um mundo físico que é totalmente baseado em matemática. De acordo com essa visão de mundo, que foi se tornando predominante no final do século XVII, os seres humanos claramente apenas descobriram a matemática e não inventaram.



ISAAC NEWTON


“DEUS criou tudo por número, peso e medida”.


Newton afirmava que, a própria existência do mundo e da regularidade matemática do Cosmos são indícios da presença de DEUS. Ele considerou o fato de que todo o cosmos é regido pelas mesmas leis e parece ser estável, como uma evidência adicional para a mão orientadora de DEUS. Para ele DEUS foi um matemático “entre outras coisas”, não apenas como uma figura de linguagem, mas quase literalmente, O DEUS CRIADOR trouxe à existência o mundo físico, que é governado por leis matemáticas.



LEOPOLDO KRONECKER (1823 – 1891)

“DEUS criou os números naturais, todo o resto é obra do homem.”



ALBERT EINSTEIN (1879 - 1955)

“DEUS não se importa com nossas dificuldades matemáticas. ELE as integra empiricamente.”



GAUSS (1777 – 1855)

“DEUS faz aritmética;”



EUCLIDES (300 a.C )

“As leis da natureza não são nada mais que os pensamentos matemáticos de DEUS.”



JOHANNES KEPLER (1571 – 1630)

O principal objetivo de todas as investigações do mundo exterior deve ser descobrir a ordem racional e harmonia que tem sido imposta por DEUS e que ELE nos revelou na linguagem da matemática.



JOHN D.BARROW (1952)

Todas as nossas declarações sobre a natureza do mundo são as afirmações matemáticas, ainda não sabemos o que a matemática “É”... E por isso achamos que nos adaptamos a uma religião muito semelhante a muitas crenças tradicionais. Mude “Matemática” para “DEUS” e quase nada parece mudar. O problema do contato humano com o reino espiritual, da eternidade, da nossa incapacidade de capturar tudo com a linguagem e símbolo, todos têm os seus homólogos na busca da natureza da matemática platônica.



JAMES JEANS (1877 – 1946)

“A partir das evidências intrínsecas de sua criação, o Grande Arquiteto do Universo começa a parecer-nos um puro matemático.”



HENRI POINCARÉ (1854 – 1912)

“Se DEUS fala ao homem, sem dúvida, ELE usa a linguagem da matemática.”



PAULO DIRAC (1902 – 1984)

“Se existe um DEUS, ELE é um grande matemático.”




Onde você olhar tem CÓDIGO-FONTE, a raiz de todas coisas;

em qualquer semente;

em qualquer criança;

em qualquer sorriso;

em qualquer matéria;

em qualquer atitude;

tudo tem DEUS....

AKEL




Vídeos Recomendados:

*COLONIZAÇÃO CEREBRAL 666 E A INFORMÁTICA E DEUS

**TUA FÉ TE SALVOU, NÃO DEUS

FÉ- O PODER DA MENTE



2 comentários
© 2020, by AKEL, fundador da Filosofia EX, since 2012.